« Home | Amanhecer... » | Aconteces em mim... » | A sangue tatuei o teu nome... » | Devolução de sorrisos... » | Asas de fogo... » | Vens comigo?... » | Se não for tarde demais... » | Foste tu que me perdeste... » | Da amizade... » | Da dança... » 

Monday, June 19, 2006 

Morrem as palavras em mim...

Morrem as palavras na minha boca, porque as não sei dizer como precisas ouvir. Morrem as palavras em mim e ressuscitam em silêncios de fogo e mar. Porque eu sou o fogo e tu o mar que me envolve.
Morrem as palavras na voz amordaçada, nesta voz que esculpia esperas e recusas. Morrem as palavras que trago nas minhas mãos, nestas mãos que se demoram pelo teu corpo, que procuram as tuas e, sobretudo, que te procuram.
Morrem as minhas palavras em mim para ressurgirem ao som de violinos e de pianos na tua boca, porque podem morrer as palavras em mim, porque posso silenciar o que tenho para te dizer com um beijo, porque podem gastar-se as minhas palavras, apenas porque sei que ouvirás o seu eco em ti. Eu cada vez mais oiço as tuas palavras. Cada vez mais te oiço em mim. Cada vez mais vives em mim. E tu ouves?

leio sempre o teu blog, mas é isso, é a faculdade, os exames.. que me deixam sem tempo para muito mais.. escrever, comentar os blogs amigos, enfim..

mais uma vez muito bom!

um abraço

As palavras nunca morrem...
Apenas se calam...
Se escondem...

As palavras que num eco se demonstram... São sempre as mesmas que tentamos esconder, debaixo de um sussurro, de um gesto...
As mesmas que estão presas à nossa voz... ao nosso silêncio...

Nunca as deixes morrer...
Apenas faz com que elas se escondam no silêncio do olhar permanente...

bj...
Dark Angel...

se deixas as palavras morrerem,tenta pelo menos dizer o mesmo pelo olhar,pelo toque,pelo sorriso...com um beijo...
mas nunca escondas o que sentes,o que vai na tua alma e coração...

um grande beijo

Morrem palavras na tua boca, mas a escrevê-las fazes com que renasçam.
Parabéns!

Olá, peço desculpas pelo transtorno.
O texto foi removido do Blog Tom de Cinza.Motivo pela qual não citei o autor: havia copiado o texto em meu caderno antes da criação do Blog, pois sempre admirei uma boa leitura. Assim não me preocupei com a sua assinatura. Entretanto, entendo seu pedido e revolta.
Atenciosamente,
Davi Kanno

Mais uma vez peço desculpa e também aproveito para dizer que seus textos são ótimos!!E nunca deixe as palavras morrerem, são elas que movem o Mundo!
Belo texto!!
Davi Kanno

Mesmo que morram as palavras podemos deixar o outro ler em nós...

E podemos também deixar que os nossos silêncios gritem até que nos consigam ouvir...

Sempre agradável passar por aqui.
Até breve ***

Se essas(suas) palavras fossem algum dia escrita para mim por alguem, jamais desejariam que morressem e se calassem; jamais diria que nao dizem o que quero ouvir...seus pensamentos posto em pratica sao como melodia; nao os deixe apagar.

a unica razão porque pus os textos no blog foi porque o meu blog foi criado apenas com o intuito de desabafar comigo mesma, não sabia que seria publico, por isso postei este texto que gostei. Logo que possivel vou reformular e citar o seu blog como autor ou então retirar o texto.

Não encontrei o email por ixo deixei comentario.

Muito bom este espaço que descobri.

Visita também o meu cantinho de poesia
www.oparaisonaoeaqui.blogspot.com
e o meu cantinho de textos
www.deixameveraminhaagenda.blogspot.com

Deparei-me com este espaço e simplesmente amei. Tens o dom da descrição. "Morrem as palavras em mim..." está simplesmente divinal. Dá prazer fazer renascer as palvras que morrem em ti, mas que com tanta astúcia as plantas neste blogue.
Parabéns!

Post a Comment
on-line

Powered by Blogger

online
Spyware Remover Page copy protected against web site content infringement by Copyscape